Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A Universidade de Stanford - postado por Armando Rafael.




Malcolm Forbes conta que uma senhora, usando um vestido de algodão já desbotado, e seu marido trajando um velho terno feito à mão, desceram do trem em Boston, EUA, e se dirigiram timidamente ao escritório do presidente da Universidade Harvard. Eles vinham de Palo Alto, Califórnia e não haviam marcado entrevista. A secretária, num relance, achou que aqueles dois com aparência de caipiras do interior, nada tinham a fazer em Harvard.
Queremos falar com o presidente – disse o homem em voz baixa.
Ele vai estar ocupado o dia todo – respondeu rispidamente a secretária.
Nós vamos esperar.
A secretária os ignorou por horas a fio, esperando que o casal finalmente desistisse e fosse embora. Mas eles ficaram ali, e a secretária, um tanto frustrada, decidiu incomodar o presidente, embora detestasse fazer isso.
Se o senhor falar com eles apenas por alguns minutos, talvez resolvam ir embora – disse ela.
O presidente suspirou com irritação, mas concordou. Alguém da sua importância não tinha tempo para atender gente desse tipo, mas ele detestava vestidos desbotados e ternos puídos em seu escritório. Com o rosto fechado, ele foi até o casal.
Tivemos um filho que estudou em Harvard durante um ano – disse a mulher. Ele amava Harvard e foi muito feliz aqui, mas, um ano atrás ele morreu num acidente e gostaríamos de erigir um monumento em honra a ele em algum lugar do campus.
Minha senhora – disse rudemente o presidente – não podemos erigir uma estátua para cada pessoa que estudou em Harvard e morreu, se o fizéssemos, este lugar pareceria um cemitério.
Oh, não – respondeu rapidamente a senhora. Não queremos erigir uma estátua. Gostaríamos de doar um edifício à Harvard.
O presidente olhou para o vestido desbotado da mulher e para o velho terno do marido, e exclamou:
Um edifício! Os senhores têm sequer uma pálida ideia de quanto custa um edifício? Temos mais de sete milhões e meio de dólares em prédios aqui em Harvard.
A senhora ficou em silêncio por um momento, e então disse ao marido:
Se é só isso que custa para fundar uma universidade, por que não termos a nossa própria? O marido concordou.
O casal Leland Stanford levantou-se e saiu, deixando o presidente confuso. Viajando de volta para Palo Alto, na Califórnia, eles estabeleceram ali a Universidade Stanford, em homenagem a seu filho, ex-aluno da Harvard.
A única instituição que se confunde com o Homem, é seu caráter!
Por isso não generalize, nem emita pareceres e conceitos precipitados sem conhecer toda a verdade.

Moral da História: Nunca julgue as pessoas pela aparência.

7 comentários:

  1. Prezado Armando.

    Muito boa postagem. Parabens.

    ResponderExcluir
  2. Armando.

    Tenho um exemplo desse acontecido com um primo meu em Várzea Alegre. Meu primo legítimo Lindoval estava servindo as mesas em uma festa dada por ele e seu filho a toda comunidade varzealegrense, no CREVA, por ocasião da formatura de seu filho em medicina, D. Carlinhos. Quando se aproximou de uma mesa em que alguns rapazes estavam bebebendo e se divertindo às suas custas, perguntou: Está tudo bem aí! não esta faltando nada? E um deles disse: Vá pra lá! Ninguem precisa de nada aqui não, você é o dono da festa? E meu primo: "Não mais é mesmo que ser, a festa é do meu filho". Quando ele saiu ouviu os buxixos: Você é doido rapaz aquele alí é o pai do Carlinhos! Ao chamar novamente para atender aquela mesa ele disse: Não! alí tá tudo bem, eles não precisam de nada não!
    Pois é: As aparências enganam!

    ResponderExcluir
  3. Prezados Armando e Francisco.

    Nestes leilões de gado que se ver muito na TV, aquele cara bem paramentado com indumentaria rica, fivelão no cinto é o peão. O outro, geralmente mais idoso e de chapeu de palha é o fazendeiro, o dono das boiadas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Armando,

    Um belo exemplo para os prepotentes, emergentes e amantes apenas do TER, que formam o complexo social atual.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Morais,
    Francisco Gonçalves
    e Sávio Pinheiro:

    Muitas vezes pessoas dotadas de simplicidade e humildade modificam o mundo.
    Já os deslumbrados, arrogantes e prepotentes...

    ResponderExcluir
  6. Ja aconteceu caso de um vendedor novato ao oferecer seus produtos, ignorou o mal vestido e foi falar diretamente com aquele engravatado. Este após longa conversa com o vendedor mostrou a ele quem tinha o poder de decisão na empresa. O proprietário era o mais simples, o engravatado era somente o gerente. O vendedor envergonhado, foi embora sem vender nada, perdendo assim uma gorda comissão. Mas era novato, e ainda tinha um longo caminho para aprender sobre a vida.

    ResponderExcluir
  7. A humildade triunfa sempre. A vaidade e o orgulho não levam a nada.

    ResponderExcluir