Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


domingo, 17 de dezembro de 2017

A esquerda no país das maravilhas – por Ítalo Nóbrega


É natural muitas crianças crescerem ouvindo de seus pais histórias infantis, algumas das quais as marcam profundamente, outras nem tanto. Confesso ao leitor que o conto de “Alice no país das maravilhas”, que ouvi quando era pequeno, se encaixa no segundo grupo, ao menos no meu caso. Seja como for, foi-me impossível não me lembrar dele ao acompanhar algumas notícias sobre toda a reação da opinião pública brasileira contra a blasfêmia e os comentários feitos a respeito por muitos articulistas. O leitor o conhece?

Hoje, o Brasil lulopetista é apresentado como O “país das maravilhas” da esquerda troglodita. A partir de meados dos anos 1980 os partidos de esquerda começaram a crescer no Brasil. Seus líderes julgavam que se iniciava para eles uma “era de ouro”, diante de uma opinião pública fatigada com o regime militar. Mas tal “era de ouro” de fato só se consolidou com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 e a permanência de seu partido (PT) no poder.

Foi o “país das maravilhas” para a esquerda. A partir desse marco, o Brasil ia ganhando cada vez mais semelhanças com regimes socialistas, tanto no campo econômico como no social. No campo econômico poderiam ser citadas muitas medidas e leis que interferiam — e muitas ainda interferem — nas relações patrão-empregado, nas relações familiares, na livre iniciativa, no ensino etc., todas elas de cunho socialista.

Já no campo social caberia ressaltar toda a disseminação dos falsos conceitos de liberdade e igualdade, tendo como resultado a propagação do aborto, do homossexualismo, e de outras formas de mutilações morais. Com todas essas transformações somadas ao fato de o PT financiar outros governos socialistas, seria inteiramente lícito supor que em mais algumas décadas o Brasil se tornaria a União Soviética da América do Sul. E tudo caminhava para esse desfecho.

Como no conto de Alice, algo, porém, interrompe tudo: a população acorda e vê que aquilo não passara de um sonho. Explico. As pessoas que perseguiam esse objetivo estavam tão inebriadas com a disseminação de seus valores anticristãos, que não perceberam que a opinião pública já não os suportava havia tempo. As manifestações instigadas pelo governo petista em 2013, a propósito do “Passe livre”, tiveram um efeito boomerang e constituíram para ele o início do fim, pois a opinião pública começou a gostar da rua... Contudo, o fato culminante que a meu ver fez a esquerda realmente sobressaltar-se foi a recente e imensa reação do povo brasileiro contra a blasfêmia e a pornografia presentes na mostra do “Queermuseum”. As reações que se seguiram contra outras “mostras de arte” terminaram de “tocar o despertador”.

O povo brasileiro não aceitou a agenda homossexual propagada pelo PT e pelos partidos de sua base aliada, que não contavam com essa esmagadora recusa. O relato de muitos jornalistas simpáticos às ideias rejeitadas tão fortemente pelos brasileiros ilustra bem o quadro. “Absurdo”, “retrocesso”, “atraso”, “volta à Idade Média” foram expressões muito utilizadas, reveladoras do desapontamento que tiveram. O Brasil autêntico e cristão mostra a sua face.

O que convém lembrar a toda essa gente, desejosa de impor a todo transe tais agendas ao povo brasileiro, é que nem seus discursos igualitários e falaciosos, nem a dissolução moral difundida pela mídia e congêneres poderão exterminar a herança religiosa e moral de um Brasil autêntico e cristão. De um Brasil que a partir de 2013 vem se erguendo contra o socialismo petista em gigantescas manifestações de rua — a mais memorável das quais foi aquela de 15 de março de 2015 —, e cuja verdadeira grandeza se revelará no dia não longínquo em que, regenerado pelas bênçãos de Nossa Senhora Aparecida e envolto nos braços do Cristo Redentor, ele cumprir com a vocação histórica que a Divina Providência lhe tem reservada.

Ciro lança candidatura de Cid e veta aliança com Eunício em reunião com Lupi - Ceará News.



Ex-ministro foi enquadrado pelo presidente do PDT por apoio a um candidato do partido no Ceará. Camilo já foi informado sobre a rasteira.
   
O presidenciável Ciro Gomes (PDT) foi enquadrado pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, durante uma reunião a portas fechadas, em Fortaleza. Lupi cobrou do ex-ministro o apoio a um candidato pedetista ao Governo do Ceará, já que a sigla está bancando seu nome na disputa pela Presidência. Encurralado, Ciro teria aproveitado a oportunidade para dar uma rasteira no governador Camilo Santana (PT) e lançar o ex-governador Cid Gomes (PDT) ao Palácio da Abolição.

A rasteira de Ciro em Camilo pune o governador por sua aliança com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), desafeto do Ferreira Gomes, e aproveita a fragilidade momentânea da candidatura do petista devido à julgamento em segunda instância do caso do tríplex, marcado para Janeiro e que pode tirar o ex-presidente Lula das Eleições 2018. Recentemente, Camilo bateu o pé e afirmou que apoiará o ex-presidente ao Planalto em 2018, e não Ciro.

Cid ouviu calado o irmão atender mais uma exigência de Lupi e garantir uma das vagas ao Senado na chapa ao deputado federal André Figueiredo (PDT), que também participou da reunião. Nenhum dos presentes confirma o que ficou acertado no encontro, mas o governador Camilo Santana já foi informado e deve decidir se deixa o PT pelo PDT para tentar a reeleição com o apoio dos Ferreira Gomes, mesmo sob risco de ser escanteado no último momento, ou rompe com Cid e Ciro, mantém a aliança com Eunício e se lança como candidato petista ao Governo.

A história se repete :

Diante da rasteira de Ciro, Camilo e Eunício correm o risco de se tornarem os novos José Guimarães e Domingos Filho de 2018. Em 2014, estava tudo certo para que o deputado federal José Guimarães (PT) fosse lançado ao Senado, e Domingos Filho ao Abolição. No entanto, no último momento, os dois foram escanteados as vagas no Senado e no Governo ficaram nas mãos do senador Tasso Jereissati (PSDB) e de Camilo, respectivamente.

Candidato condenado não existiria sem o eleitor - Josias de Souza.

O PT reuniu o seu diretório nacional para reafirmar que a candidatura presidencial de Lula será mantida na base do vai ou racha. 

Ele será candidato mesmo com a reputação rachada por uma eventual sentença condenatória emitida pela segunda instância do Judiciário brasileiro. 

Lula continuará no páreo ainda que a rachadura moral o leve para a cadeia. Não há Plano B, diz a ré Gleisi Hoffmann, presidente do PT.

Em discurso, Lula, com uma condenação de nove anos e meio de cadeia nas costas, reiterou que não seria candidato se fosse culpado. Em privado, ele diz ter a convicção de que será condenado em outros processos. Mas considera-se uma inocente vítima de perseguição política. Lula atingiu o ápice da perfeição. Ele mesmo comete os crimes, ele mesmo se julga e ele mesmo se absolve.

Não faz sentido pensar mal de Lula e alisar a cabeça dos eleitores. Assaltado e vilipendiado, o Brasil é presidido hoje por um denunciado criminal, cercado de ministros e aliados que não têm biografias, mas prontuários. E o primeiro colocado nas pesquisas é um condenado que flerta com a cadeia. Num cenário assim o problema não é os políticos tentarem fazer o eleitorado de idiotas. O grande problema é que eles ainda encontram material.

sábado, 16 de dezembro de 2017

MAGNO ALVES - Por Wilton Bezerra.

O futebol não é um ambiente onde pontifica o reconhecimento pelos feitos.
Pelo contrário. Evita-se o reconhecimento justo pelo que foi realizado ontem.
A história Ceará-Magno Alves não podia terminar da forma melancólica como terminou.
Não ouvi a entrevista desabafo do jogador. Nem sei mesmo se houve uma proposta humilhante por parte do clube.
Nesse caso, nem proposta devia ter existido.
Talvez um acordo para que Magno continuasse servindo ao alvinegro de outra forma.
No lugar disso, ficou mesmo foi um desenlace traumático.
A esta altura, nada disso me interessa.

Fica claro, no entanto, ter faltado uma intermediação competente nas conversas.
O futebol precisa dos ídolos.
As novas gerações de jogadores e torcedores necessitam de craques inspiradores.
Há poucos dias, o Barcelona renovou a permanência de Iniesta no clube catalão até o dia que quiser.
Zé Roberto, 43, encerrou a sua extensa carreira com o estádio inteiro gritando o seu nome e nos braços dos seus companheiros do Palmeiras.
Aqui, as coisas são diferentes.
Gildo, maior ídolo alvinegro, me falou nome de um manda-chuva do Ceará que resolveu encerrar a sua carreira.
Para quem não sabe, os ídolos são heróis e são eles que também constroem os grandes clubes.
O Flamengo passou a construir a maior torcida do Brasil quando contratou Leônidas da Silva, o Diamante Negro.
Não é meu objetivo procurar o culpados porque isso me parece irrelevante no momento.
Fico apenas ruminando.
Quem cria os ídolos precisa destruí-los depois?

IBGE mostra que Lula e Dilma são dois farsantes.

Em 2007, Lula proclamou a abolição da pobreza no Brasil. Para que Dilma Rousseff não ficasse sem ter o que fazer no Palácio do Planalto, Lula deixou-lhe apenas alguns milhões de miseráveis.

“No Brasil do lulopetismo, como se sabe, miserável não é um pobre no limite da pobreza. É uma categoria à parte”, diz o comentarista Augusto Nunes

Em 2012, Dilma proclamou a abolição da miséria. O Brasil se tornou o único país do mundo cujos habitantes são todos de classe média para cima e Lula saiu pelo mundo cobrando R$ 500 mil para ensinar em palestras de menos de uma hora o “segredo” desse “milagre”.

Conversa de vigaristas, confirmou nesta sexta-feira (15) o IBGE.

Em levantamento feito em todo o País, o Instituto demonstrou que em 2016, quando Dilma foi demitida da Presidência por incompetência, mais de 52 milhões de brasileiros viviam abaixo da linha da pobreza fixada em 5 dólares e meio por dia, ou R$ 18,20. Um quarto do país é composto por pessoas que vivem na pobreza ou na miséria.

Quem subiu na vida foi Lula, a família, os comparsas e os afiliados de Lula.

Denizard Macedo, um ilustre cratense – por Armando Rafael

Na foto acima, uma vista da cidade de Crato em 1921, ano do nascimento de Denizard Macedo

   José Denizard Macedo de Alcântara (foto ao lado) nasceu em Crato em 1° de setembro de 1921. Naquele dia a população cratense festejava Nossa Senhora da Penha, a padroeira da cidade. Fez seus primeiros estudos na sua cidade natal, no Externato Santa Inês e Ginásio do Crato. Depois estudou no Liceu do Ceará, em Fortaleza. Obteve graduação em Ciências Econômicas, tendo feito o doutorado nesta área.

    Denizard Macedo foi professor em várias instituições de Fortaleza, dentre elas da Escola Preparatória de Cadetes, do Colégio Militar do Ceará, Instituto de Educação, Faculdade Católica de Filosofia, Escola de Serviço Social e de numerosos colégios de segundo grau. Incursionando na política foi eleito vereador por Fortaleza. Foi também jornalista, ensaísta, historiador, conferencista e geógrafo. Pertenceu à Sociedade Cearense de Geografia e História, Instituto do Ceará e Academia Cearense de Letras, onde ocupou a cadeira de n° 34, substituindo outra cratense, J.de Figueiredo Filho.

      Denizard Macedo foi Secretário da Cultura do Ceará no Governo de Adauto Bezerra. Escreveu as seguintes obras: A Universidade na Defesa Nacional; Fundamentos da Administração Cearense; A Conjuntura Histórico-Geográfica da Industrialização Brasileira; Racionalização da Competência Administrativa do Município; Geografia da América; Cultura e Universidade; Vida do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro; Ascensão e Declínio do Magistério Brasileiro; Ensino de Filosofia no Ceará e Retrato da História da Independência.

       Católico sincero, possuidor de sólida formação religiosa, era monarquista convicto, apesar da proibição da República brasileira – durante cem anos – de qualquer divulgação pública sobre esta forma de governo. Para quem não sabe: os monarquistas foram os últimos anistiados políticos da República brasileira, fato só acontecido com o advento da atual Constituição Federal, promulgada em 1988. Denizard Macedo faleceu em 1983, quando os monarquistas ainda viviam proscritos, mas, atendendo a um pedido dele – formulado muitos anos antes – o caixão que levou seu corpo ao cemitério foi coberto com a Bandeira do Brasil Império.

        Fortaleza homenageou a memória de Denizard Macedo dando seu nome a uma escola municipal, no bairro Quintino Cunha. Em Crato existe uma rua com o nome dele. No Instituto Cultural do Cariri uma cadeira das cadeiras daquele sodalício foi denominada de José Denizard Macedo Alcântara.
Texto e postagem: Armando Lopes Rafael
 

Em Rondônia agora é obrigado hastear a Bandeira do Império do Brasil


(Fonte: Face book Pró Monarquia)

    No último dia 12, a Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia foi palco de uma reviravolta surpreendente até para nós, monarquistas, acostumados ao desprezo da classe política.

    Há menos de um mês, noticiamos aqui a aprovação, por parte da Assembleia Legislativa de Rondônia, de um projeto de lei obrigando o hasteamento da Bandeira do Império do Brasil nas escolas públicas e privadas de ensino fundamental e médio daquele Estado. De autoria do Deputado Estadual José Eurípedes Clemente (‘‘Lebrão’’), o Projeto de Lei foi apresentado no início do mês de setembro desse ano, constando, no seu texto, além da obrigatoriedade do hasteamento da Bandeira do Império (juntamente com as bandeiras do Brasil e do Estado), a exigência da execução simultânea do Hino da Independência, além dos Hinos Nacional e do Estado de Rondônia. O projeto, afirma o texto, visava dar início às comemorações alusivas ao Bicentenário da Independência do Brasil (a ocorrer em 07 de setembro de 2022), promovendo o resgate de símbolos históricos e culturais, além de o despertar do ‘‘espírito cívico e patriótico’’ nos estudantes rondonienses.

     Tendo sido aprovado pelos parlamentares, após passar por todas as comissões da Casa e ser referendado em sessão plenária, no último dia 28 o PL n° 758/2017 – como foi nomeado – foi alvo de um duro baque, embora esperado: o veto total por parte do chefe do Executivo rondoniense, o Governador Confúcio Moura.

     De ‘‘molho’’ desde o dia 28, no último 12 ocorreu, enfim, na Assembleia Legislativa a sessão para análise do veto do governador. A bem dizer, não se esperava nem mesmo a realização dessa sessão. A bem da verdade, a aprovação da matéria – pela Assembleia Legislativa de Rondônia – já havia significado muito para os milhares de monarquistas brasileiros. E todo o empenho dirigido nesse sentido já representara mobilização digna de louvor. A transformação efetiva do projeto em lei, isso é, a sanção por parte do Executivo, seria extremamente simbólica, mas a anterior aprovação, pelos deputados estaduais de Rondônia, já representara uma verdadeira vitória.

     Mas a História – onde não há impossíveis! – nos reservava outra surpresa. Assim, admirados ficamos ao saber, no último dia 13 de dezembro, os Deputados Estaduais rejeitaram o veto do Governador. E que contra-ataque: por 19 votos a favor e 1 voto contra, o Projeto de Lei, obrigando o hasteamento da Bandeira do Império do Brasil nas escolas públicas e privadas de ensino fundamental e médio de Rondônia venceu com ampla maioria.

     Mas não só isso: antes da votação, um apelo – feito por parte de um número significativo de Deputados – foi dirigido aos demais parlamentares pedindo para rejeitarem o veto do Governador, e reconhecendo a importância e a pertinência do projeto. Um quadro verdadeiramente inesperado! Será Rondônia a ponta de lança da Restauração da Monarquia no Brasil?

Amar se aprende Amando - Carlos Drummond de Andrade


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção : pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta : pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba : existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça : Algo do céu te mandou um presente divino : O amor.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se : vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa : você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado…
Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados…
Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite…
Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado… Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela…
Se você preferir fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua ida.
Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio.
Por isso, preste atenção nos sinais.

Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor !

Ame muito…..muitíssimo…

O Antagonista.


TRF-4 julgou mais de 1.300 recursos em tempo inferior ao de Lula.

Carlos Eduardo Thompson Flores, o presidente do TRF-4, respondeu ao questionamento da defesa de Lula sobre a “celeridade” do julgamento do petista na segunda instância.

Ele publicou no site do tribunal uma planilha com as apelações criminais julgadas pela corte e demonstrou que o princípio da “isonomia” – alegação dos advogados do ex-presidente – está sendo respeitado.

Em síntese, o TRF-4 julgou mais de 1.300 recursos em tempo inferior ao que levará para julgar o de Lula.


Ceará tem aumento de 51% em assassinatos.


O PT é letal.

O Ceará, governado pelo petista Camilo Santana, registrou 470 homicídios em novembro.

Neste ano, já houve 4.681 assassinatos no estado, 51% a mais do que no mesmo período do ano passado, diz o G1.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O Antagonista.


Os tiros de Palocci contra Lula.

O acordo de Antônio Palocci, diz a Veja, “caminha a passos largos”.

Deve ser assinado com a Lava Jato de Curitiba, “distante de Raquel Dodge e sem tiros contra detentores de foro”.

Antônio Palocci mata Lula, claro. E atinge também Dilma Rousseff e Guido Mantega.


“Marina foi para um caminho sem volta”.

A esquerda deve entrar dividida no primeiro turno.

Guilherme Boulos, candidato do PSOL, disse para o Valor:

“Manuela D’Ávila lançou sua pré-candidatura, Ciro lançou sua candidatura. Acho bastante legítimo que a esquerda tenha diversidade de posições e isso se expresse no processo eleitoral.”


“Na conta pessoal de Gilmar Mendes”.

A Veja teve acesso a e-mails e documentos que tratam do patrocínio da JBS, de Joesley Batista, ao IDP, de Gilmar Mendes.

Segundo a reportagem, “os valores dos patrocínios das empresas iam parar, por vezes, na conta pessoal de Gilmar Mendes”.

Um desses casos ocorreu em 12 de junho de 2016.


O plano B de Renan.

O TRF-4 melou os planos de Renan Calheiros.

Ele disse para O Globo:

“Eu apoio o Lula pelo que ele significou como presidente, pelos resultados obtidos. Ele vai ter muitas oportunidades para reverter eventual condenação antes do trânsito em julgado”.


O factoide do DEM.

Enquanto o PT participa do velório de Lula, o DEM anuncia a candidatura presidencial de Rodrigo Maia.

Segundo o Estadão, ele deve ser apresentado hoje como “o único nome que poderia unificar o país”.

A candidatura de Rodrigo Maia ao Palácio do Planalto, como diria seu pai, é um mero factoide.
Os miseráveis têm muito a agradecer ao PT.


O IBGE divulgou que, após o início da crise econômica, mais 8,6 milhões de brasileiros passaram a viver com um quarto de uma salário mínimo por mês.

Os miseráveis têm mesmo muito a agradecer a Dilma Rousseff, Lula e o PT.

Clínica São Raimundo - Cuidando da Saúde de Várzea-Alegre !


O Blog do Crato ( E agora o Blog do Antônio Morais) tem o prazer de fazer a publicidade da Clínica São Raimundo, da cidade de Várzea Alegre - CE, que acredita no nosso trabalho como meio de buscar a integração regional. A Clínica São Raimundo é uma empresa conceituada. Comandada pelos renomados médico Dr. Menezes Filho e Fisioterapeuta Dra. Ana Micaely de Morais Meneses. Especializada em pediatria, ultrassonografia, fisioterapia geral e especializada ( RPG , neurológica e  uroginecológica) .

Eis algumas fotos da nossa empresa/parceira que fazemos questão de divulgar:

Acima: A Logomarca oficial da Clínica São Raimundo, em Várzea Alegre.



Acima: O Médico, Dr. Menezes Filho em atividade.



Acima: Dra. Ana Micaely de Morais Menezes



Cuidando de seus pacientes com carinho e dedicação...




Clinica São Raimundo.
Rua Dep. Luis Otacilio Correia 129 Centro Várzea-Alegre Ce. Fone (088) 3541-1467.
Especialidade em Pediatria , ultrassonografia , fisioterapia geral e especializada( RPG , neurológica e uroginecológica).

"Cuidando com carinho da saúde do povo de Várzea Alegre !"

Anuncie no Blog do Crato.
Contatos:
blogdocrato@hotmail.com
Tel: 088-3523-2272

O Choro é livre: Confira O chororô das principais figuras do PT sobre o Julgamento De Lula.

Assim que foi anunciada a data do julgamento do ex-presidente Lula pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que analisará o recurso contra a condenação de nove anos e seis meses, imposta pelo juiz Sérgio Moro, e a petêzada iniciou o chororô na imprensa e, principalmente, nas redes sociais.

Os petistas agora repetem como nunca o mantra da “perseguição” contra Lula e o partido. Dizem que a data do julgamento, que deve acontecer a partir do dia 24 de janeiro do próximo ano, seria a prova final de que a Justiça é célere quando é um petista no banco dos réus.

Até o fechamento desta postagem, a ex-presidente Dilma Rousseff e outras figuras proeminentes do PT ainda não haviam se manifestado sobre o assunto. Dentre as quais, o ex-prefeito Fernando Haddad, ex-governador Jaques Wagner e o vereador Eduardo Suplicy.

Confira abaixo as declarações dos petistas do alto escalão:

“Inacreditável a sanha de perseguição ao Lula! É muito medo dele na eleição! A hora é AGORA! Defender o Lula é defender a democracia que foi golpeada, contra uma perseguição insana”.
Senadora Gleisi Hoffman – Presidente nacional do PT

“É impressionante o tratamento que o TRF tem dado ao presidente Lula! Com tramitação recorde o julgamento do recurso no caso triplex foi marcado para 24/01. É uma perseguição!”
Senador Lindbergh Faria (RJ)

“Aceleraram processo contra o Lula. O pôr do sol do Guaiba, em Porto Alegre, 24 de janeiro, vai vermelhar de gente acompanhando tudo. Porque querem tirar Lula das eleições? Denúncias vazias contra um líder cheio de votos e de apoio do povo.
Deputada Maria do Rosário (RS)

“É ou não é perseguição? Até outubro de 2017, tempo médio dos julgamentos dos processos da Lava Jato no TRF-4 foi de 14 meses e meio. Lula será julgado em apenas 4 meses. Data foi confirmada para o dia 24 de janeiro”.
Deputado e líder da bancada Paulo Pimenta (RS)

“Como o direito pode ser manipulado para destruir reputações”.
Ex-presidente Dilma Rousseff

“Alegria renovada de abraçar o querido presidente Lula. A força Popular vencerá a perseguição a Lula. Quem viver, verá…”
Senadora Fátima Bezerra (RN)

“Essa decisão do TRF 4 em furar fila e antecipar o julgamento de Lula para o dia 24 de janeiro escancara a parcialidade da justiça. Eleição sem Lula é fraude”.
Deputada Benedita da Silva (RJ)

“Eis que se anuncia o golpe dentro do golpe. Nunca se viu a Justiça atuar com tamanha celeridade num processo. Rapidez recorde no julgamento confirma intenção de tornar Lula, líder isolado em qualquer cenário, inelegível para a disputa de 2018”.
Deputada Erika Kokay (DF)

“O TRF4 corre para consolidar mais um golpe, a justiça deixou de ser lenta do dia para noite só para deixar Lula fora das eleições. Não podemos permitir que arranquem deste jeito a esperança dos brasileiros”.
Deputado Marco Maia (RS)

“Tribunal marca julgamento de Lula para janeiro. A tramitação em tempo recorde mostra que a justiça no Brasil é rápida para perseguir Lula, mas é lenta para garantir direitos do povo”.

ESCOLHAS - Por Wilton Bezerra.



Ceará e Fortaleza estão diante de um quadro de grandes responsabilidades no que diz respeito à arquitetura dos elencos para 2018.
Sem ignorar a questão financeira, me preocupa muito essa história de times para determinadas disputas.
Campeonato Estadual, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.
Um time para cada ocasião?
Por mais que neguem, a questão econômica tem peso na decisão de como agir.
É preciso reconhecer dois problemas: falta de bons jogadores e ausência de trabalhos consecutivos no futebol brasileiro.
Isso conduz os times a um eterno recomeço.
Escolher sempre e selecionar sempre, correndo os naturais riscos.
A volatilidade dos elencos no futebol brasileiro só é bom negócio para os agentes.
Quem se liga em futebol, mesmo fora de uma função de técnico ou dirigente, tem suas compilações diante da oferta de tanto jogos.
E devo dizer para os senhores o seguinte: muitos nomes a posar na vitrine dos destacados são apenas jogadores de nível mediano.
Por isso, Ceará e Fortaleza têm de “arrochar o nó” nas escolhas.
Nesse ponto, há uma outra disputa.
Quem tem o olho melhor.
Não pode ter o descompasso do olhar de um Cerveró.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

“Lula vai ter que contar com a simpatia de algum tribunal superior”.

Se o TRF-4 condenar Lula, sua candidatura afunda.

Como diz Merval Pereira, “nenhum dos recursos possíveis tem efeito suspensivo. Sem essa suspensão automática dos efeitos da sentença, os tribunais superiores vão ter que atribuir esse efeito eles mesmos, o que não será simples.

Para frear a sentença, se ela for unânime, sobra só o embargo de declaração. Vai retardar o trânsito em julgado por, no máximo 30 dias, ou nem isso. Em resumo, não basta recorrer. O ex-presidente vai ter que contar com a simpatia de algum tribunal superior nessa suspensão. A menos que algum ministro, em decisão individual, conceda monocraticamente essa suspensão, para favorecer Lula, para deixar o tempo passar.

Com relação à suposta celeridade do processo, há explicações técnicas. A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, observando a proximidade do recesso forense e a necessidade de respeito ao prazo hábil mínimo para intimação dos advogados para pauta de julgamentos, fixou a data de 24 de janeiro do ano que vem para realização da primeira sessão ordinária do ano de 2018, com início às 8h30m.

Ontem, o TRF-4 divulgou a situação dos processos relacionados à Lava Jato: dos 893 processos que chegaram ao tribunal até hoje, 795 já foram analisados e julgados, o que representa 89,02% do total. Os outros 98 estão em tramitação.”

Justiça ignora berreiro de Lula - VEJA.



Velório da candidatura já tem data marcada.

Enquanto figurões do PSDB dizem que preferem Lula em liberdade para derrotá-lo nas urnas, o candidato do PT afirma que corruptos democraticamente eleitos não devem ser presos. 

Ainda bem que a Justiça vai aprendendo a só prestar atenção no que diz um político durante interrogatórios no tribunal ou em depoimentos agendados por acordos de delação premiada. 

Interessado apenas em aplicar a lei, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região marcou para 24 de janeiro o julgamento do caso do triplex no Guarujá. Se confirmada a condenação imposta por Sérgio Moro, Lula vira ficha suja e se torna inelegível. 

Simples assim. 


quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

O Antagonista - Postagem do Antônio Morais.


O mérito é dos advogados de Lula.

Carlos Eduardo Scheid, professor de Direito que analisou as decisões do TRF-4 em sua tese de doutorado, não se surpreendeu com a rapidez dos desembargadores.

“Quantos recursos a defesa do ex-presidente já apresentou ao TRF-4? Foram dezenas. Então, eles estão familiarizados com o processo. A apresentação de recursos vai antecipando o debate e ampliando o conhecimento dos desembargadores sobre a causa, o que torna o julgamento rápido”.

O mérito, portanto, é de Cristiano Zanin Martins, que infernizou os desembargadores com seus recursos inúteis e repetitivos.


Ciro Gomes festeja o TRF-4.

Ciro Gomes está radiante com o julgamento de Lula. A partir de 28 de janeiro, se o condenado for condenado outra vez, sua candidatura passa a existir.

Ele comentou no Facebook, e o Estadão se deu ao trabalho de escutar:

“Há queixa de que a denúncia foi muito rápida, mas acho que a gente não pode inverter as coisas. Justiça boa é a rápida. Ela falha é quando demora”.

Ciro Gomes disse que o julgamento do TRF-4 “muda profundamente” o cenário de 2018.

Ele disse também, segundo o Valor, que Lula deve chamar “todos aqueles sobre os quais tenha ascendência, especialmente no setor progressista, para discutir uma alternativa para o Brasil, menos de candidato e mais de projeto nacional de desenvolvimento. Isso daria a ele um lugar na história”.

O PT repete que vai manter a candidatura de Lula até o fim. Mas seus concorrentes são menos tolos do que a imprensa e já estão montando suas estratégias sem o condenado nas urnas.


Fachin vota pela abertura de ação penal contra deputado José Guimarães

Fonte: Agências de Notícias, 13-12-2017.
O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta terça-feira pelo recebimento da denúncia contra o deputado José Guimarães (PT-CE) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O parlamentar, que foi líder do governo da ex-presidente Dilma Rousseff, é acusado de ter influenciado na liberação de financiamento do Banco do Nordeste à empresa Engevix. Em troca, teria recebido propina de R$ 97,7 mil.

Além de Toffoli, outros três ministros ainda vão votar: Celso de Mello, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski. Se o voto de Fachin prevalecer, Guimarães será transformado em réu em ação penal.
A investigação começou a partir da delação premiada do ex-vereador de Americana (PT-SP) Alexandre Romano, na Lava-Jato. Segundo o delator, Guimarães intermediou, em 2011, contato entre ele e sócios da Engevix com o presidente do banco à época, Roberto Smith. O encontro teria resultado na celebração do contrato de financiamento de cerca de R$ 260 milhões da empresa para a construção de usinas eólicas na Bahia.

Por sua atuação no auxílio da liberação dos valores, Romano teria recebido R$ 1 milhão a título de “comissão”, de forma disfarçada, mediante contratos fictícios de prestação de serviços de advocacia a empresas vinculadas ao grupo Engevix. Deste montante, ele teria repassado aproximadamente 10% ao deputado, pela ajuda no contato com Roberto Smith, que possibilitou a liberação do financiamento.

Ainda segundo a denúncia, os R$ 97,7 mil foram pagos a Guimarães por meio de dois cheques, compensados em setembro de 2011 em favor de um escritório de advocacia e de uma gráfica, ambos credores de sua campanha à Câmara dos Deputados. “Tenho a consciência tranquila de que nunca me beneficiei de recurso público, razão pela qual manifesto meu repúdio a todas as acusações”, afirmou o parlamentar em nota divulgada há um ano, quando a PGR enviou a denúncia ao STF.

Patrimônio Religioso de Crato I: Memória do 1º Reitor do Seminário São José (por Armando Lopes Rafael)

Padre Lourenço Vicente Enrile - foto tirada do "Album do Seminário do Crato", editado em 1925

   O dia era 13 de novembro de 1876. Na Vila Real do Crato – na Rua das Flores, em casa do farmacêutico prático Secundo Chaves, localizada próximo a onde hoje funciona a Cúria Diocesana, na Rua Teófilo Siqueira – um sacerdote de 43 anos, com o organismo minado pela tuberculose, sentia que sua existência terrena chegava ao fim. Em meio à febre, acessos constantes de tosse e hemoptise, o Padre Lourenço Vicente Enrile – primeiro reitor do Seminário São José – rendeu sua bela alma a Deus, nos braços do farmacêutico e seu benfeitor.

    Dias antes, Secundo Chaves, após muita insistência, conseguiu que o Padre Lourenço Enrile deixasse o prédio do Seminário e viesse para sua residência, onde teria mais conforto no tratamento da pertinaz moléstia. Debalde foram os esforços do farmacêutico. O Crato perdeu, naquele dia, um dos mais virtuosos sacerdotes que já passaram por esta cidade.

    Padre Enrile nasceu em Finalborgo, diocese de Savóia, na Itália em 28 de fevereiro de 1833. Cento e trinta e cinco anos depois da chegada do Frei Carlos Maria de Ferrara – fundador de Crato – a Itália nos mandara outro valoroso missionário. Padre Enrile chegou ao Cariri em 1875, para colocar em funcionamento o Seminário São José. Aqui viveu menos de dois anos, tempo suficiente para alcançar – junto à sociedade cratense – o conceito de um sacerdote digno, piedoso e exemplar.

     Segundo o “Álbum do Seminário de Crato”, editado em 1925:
   “Não se limitava a ação do primeiro reitor em guiar os destinos da casa, da posição em que o colocara o Sr. Bispo, mas entregava-se a todos os misteres. Desde a sala de aulas até a cozinha, sua atividade se desenvolvia a contento de todos os que habitavam o Seminário.
   “Trabalhava sem tréguas, durante o dia, e, à noite quando todos dormiam, ainda vigiando, percorria o dormitório e mais compartimentos da casa, não deixando de consagrar algum tempo ao estudo.
   “Os primeiros albores da madrugada, como determinavam as regras da Congregação, já o encontravam no cumprimento do dever.
   “Padre Enrile era um modelo de sacerdote católico, que reunia aos vastos conhecimentos de que era possuidor uma piedade sólida, haurida em Paris na Casa Mãe dos Lazaristas. Manejava a língua portuguesa com rara facilidade, de modo que prendia a atenção de todos quando proferia seus memoráveis sermões. À capela do Seminário, em meio de grande massa popular, afluía, ainda, o que o Crato tinha de intelectual naquele tempo, para ouvir a palavra fácil e erudita do Padre Enrile.
   “Em todos os misteres do sacerdócio, era o Padre Enrile exato e admirável. Edificava o povo, quando após os trabalhos do Seminário, saía em busca dos moribundos levando-lhes o pão dos anjos e o conforto de sua palavra cheia de unção.

É ainda o “Álbum do Seminário de Crato” que informa:
    “Quando do seu falecimento, a população em peso acorreu ao Seminário e de todos os olhos caiam lágrimas a fio, e todos os lábios ciciavam preces pelo repouso da alma do prateado morto”.
    Os veneráveis restos mortais do Padre Enrile encontram-se sepultados numa das colunas da capela do Seminário São José. Conforme o “Álbum do Seminário de Crato”: “Jamais se assistira (até aquela data) em Crato a enterro tão concorrido e a morte tão chorada”...
Texto e postagem de Armando Lopes Rafael

Patrimônio Religioso de Crato II: A imagem de São Quintino (por Armando Lopes Rafael)

   Existe na capela de Santa Teresa de Jesus, em Crato, uma imagem de São Quintino. Santo pouco cultuado no Brasil fiquei curioso em conhecer a origem dessa imagem que se venera naquele templo. E fiquei sabendo que foi uma espécie de agradecimento – feito pelos fiéis cratenses – a Dom Quintino Rodrigues de Oliveira e Silva, 1º bispo de Crato, e construtor daquela capela.

    Depois, conversando com o Diácono-permanente Policarpo Rodrigues – sobrinho-neto de Dom Quintino – este esclareceu que era costume na família Rodrigues dar nome aos filhos homenageando o santo comemorado na data de seus nascimentos. Dom Quintino nasceu num 31 de outubro, data que se comemora São Quintino. Mas, quem é este santo venerado em Crato? No livro de Jacopo de Varazze, “Legenda Áurea–vidas dos santos”, (com 1.040 páginas), consta à página 419:

     “Quintino, nobre cidadão romano, foi à cidade de Amiens onde fez muitos milagres e foi capturado por ordem do prefeito Maximiano, sendo espancado com varas até os carrascos estarem esgotados e depois jogado na prisão. Mas, libertado por um anjo, foi para o centro da cidade pregar ao povo. Novamente preso, foi esticado no potro (obs: instrumento romano de tortura, constituído por uma armação de madeira cuja forma lembra um pequeno cavalo, daí este nome) até suas veias se romperem, foi duramente espancado, jogaram nele azeite, pez e gorduras ferventes, e como continuou a zombar do prefeito, este, irritado, mandou jogar na sua boca vinagre, cal e mostarda.

Mas como permanecia inabalável, foi conduzido a Vermand, onde o prefeito mandou enfiar nele dois espetos que iam da cabeça às coxas, e dez pregos entre as unhas e a carne; depois mandou decapitá-lo. “Seu corpo foi jogado em um rio e ali ficou 55 anos, tendo sido depois encontrado por uma nobre dama romana. Esta, que se entregava assiduamente à oração, certa noite foi avisada por um anjo para ir ao castelo de Vermand e ali procurar em determinado lugar o corpo de São Quintino e sepultá-lo com honras. Ela se dirigiu com um grande séquito ao lugar indicado, onde, depois de ter feito sua prece, apareceu o corpo de São Quintino, flutuando incorrupto e exalando um suave odor. Ela o sepultou, e como grande recompensa recuperou a visão. Depois de construir naquele lugar uma igreja, voltou para casa”.

Texto e postagem: Armando Lopes Rafael

“Lula tem de ser tratado como manda a lei” - Postagem do Antônio Morais


“Pode-se entender a benevolência do ex-presidente FHC com Lula — ‘prefiro combatê-lo na urna a vê-lo preso’ — devido à convivência dos tempos de resistência de ambos à ditadura militar.

Mas o Brasil de hoje felizmente é outro: um país em que as instituições republicanas estão sendo reconstruídas a duras penas e que, para se consolidarem, todo cidadão, não importa qual, tem de ser tratado como manda a lei.

Inclusive, claro, Lula.”

O Julgamento que, provavelmente, deve mandar Lula para a prisão, torná-lo Ficha Suja e impedi–lo de candidatar-se nas próximas eleições está marcado. 

O desembargador Leandro Paulsen, do TRF da 4ª Região, em Porto Alegre, marcou  o julgamento do ex-presidente Lula no caso do triplex do Guarujá para dia 24 de janeiro . 

Se for condenado em segunda instância, Lula estará impedido de participar das eleições de 2018.

COADJUVANTE COMO SUPERIORIDADE SECUNDÁRIA - Por Wilton Bezerra.

Complicado, não?
Começo por explicar o seguinte: Ao ler uma matéria sobre Morgan Freeman, consagrado ator negro, fico sabendo não ter havido um filme onde ele, num papel secundário, não tenha superado o astro principal.
E contracenou com Clint Eastwood e Jack Nicholson, entre outros. Lembro de “Os imperdoáveis”.
Coadjuvante num papel secundário, Freeman simplesmente “roubou a cena”.
Como os senhores sabem, o futebol mexe com várias dimensões da natureza humana.
O gosto pela vitória, o instinto de competição física, possibilidades motoras e lúdicas e a inclinação pelo simbólico.
Cheguei ao ponto que queria.
As impressões sobre Morgan Freeman caem como luva em um coadjuvante chamado Pio, do Ceará Sporting Club.
Falo do simbolismo de sua participação na subida do alvinegro para a primeira divisão.
Não era titular. Nem na lateral e nem no meio campo.
Quem provocou os maiores delírios no Castelão com suas cobranças de faltas decisivas em jogos carregados de emoção?
Pio, o coadjuvante, impôs uma superioridade secundária.
Os “cobras” eram os outros.
Mas ele “roubou a cena”, tal qual o ator americano.
Penso ter explicado a contento o título desta croniqueta.
Quando insinuaram Pio em uma suposta lista de dispensáveis do Ceará, não acreditei.
Pensei: logo num estágio do futebol onde a tal da “bola parada” é importante, como se abre mão do canhão que Pio possui no pé direito?
E o simbólico como uma das razões do futebol?
Dirigente, muitas vezes perde o juízo, mas não é burro.


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Fome de decência pode minar alianças de 2018 - Josias de Souza.



Graças à epidemia de corrupção, o Brasil vive tempos extraordinários. Há cadáveres demais no noticiário político. Em consequência, uma fome de limpeza paira no ar. Alheios à demanda por decência, os partidos se equipam para a sucessão de 2018 de forma ordinária. Costuram-se coligações partidárias sem levar em conta o risco de as candidaturas trançadas de maneira convencional se espatifarem. Considerando-se o prontuário de certos articuladores, espatifar é o termo mais adequado.

Como ocorre às vésperas de toda eleição, o espírito de bazar baixou na política brasileira. Partidos sujos negociam seu tempo de propaganda no rádio e na tevê à luz do dia, na frente das crianças. Há cenas constrangedoras, como a disputa mal disfarçada que Geraldo Alckmin (PSDB) e Henrique Meirelles (PSD) travam pelas vitrines eletrônicas do PMDB e do rebotalho do centrão —PP, PR, PRB, PTB, SD e etc. 

Na sucessão de 2014, o grosso dos partidos que orbitam ao redor do governo Temer estavam com Dilma Rousseff. A pupila de Lula tinha a campanha com o maior tempo de propaganda, com mais dinheiro e com mais marquetagem. A megaestrutura foi utilizada para desconstruir adversários, especialmente Marina Silva, não para construir Dilma. O resultado foi um estelionato eleitoral. Reeleita, Dilma adotou o programa econômico de Aécio Neves. Criticada, tornou-se uma gestora caótica. O ciclismo fiscal, a gestão empregocida e a ruína moral custaram-lhe o cargo.

Repete-se agora a mesma pantomima. Um paradoxo aprisiona os candidatos: antes de se venderem no horário eleitoral como protótipos do avanço, eles entregam a alma ao atraso em troca de alguns minutos adicionais de propaganda eleitoral. Com isso, o Brasil vive sob uma crise eterna de compostura. A sociedade é incapaz de enxergar ética nos políticos. E os políticos são incapazes de demonstrá-la.

Alguns candidatos ainda não se deram conta, mas na eleição de 2018 a aversão aos partidos, que leva o eleitorado a buscar novidades, pode transformar as máquinas partidárias e tudo o que elas representam num elemento tóxico. Por mal dos pecados, a grande surpresa da pré-temporada eleitoral chama-se Jair Bolsonaro, cuja estrutura partidária é, por ora, nenhuma. A ascensão de Bolsonaro como alternativa a Lula, um candidato condenado criminalmente, demonstra que, se não for saciada adequadamente, a fome de decência pode levar o eleitorado a mastigar a racionalidade.

1936 o Rei Eduardo VIII anuncia a sua abdicação do trono britânico para casar com a americana Wallis Simpson.



No dia 10 de Dezembro de 1936, o rei Eduardo VIII de Inglaterra decide abdicar do trono por amor a Wallis Simpson, uma plebeia americana divorciada duas vezes. O escândalo na corte foi enorme. Os costumes da família real tornavam difícil e até mesmo impossível a ascensão de uma divorciada ao estatuto de consorte e o governo aproveita o affair para livrar o trono de um monarca que não escondia simpatias pela Alemanha nazista.

No dia seguinte, o seu último ato como rei foi dar o consentimento real à Lei da Declaração de Abdicação de Sua Majestade de 1936. Conforme exigido pelo Estatuto de Westminster, todos os Domínios consentiram com a abdicação.

Na noite de 11 de dezembro de 1936, Eduardo, agora novamente príncipe, fez um discurso à nação e ao império, explicando a sua decisão de abdicar. Após reinar menos de um ano, Eduardo VIII torna-se o primeiro monarca inglês a abdicar voluntariamente do trono. Preferiu abdicar após o governo britânico, a opinião pública e a Igreja Anglicana terem condenado a sua decisão de casar-se com Wallis. “Considerei impossível carregar tão grave responsabilidade e desempenhar os deveres de rei, como gostaria, sem a ajuda e o apoio da mulher que amo”, explica naquela noite, numa declaração pela rádio.

Eduardo, nascido em 1896, era o filho mais velho do rei Jorge V, que havia subido ao trono britânico em 1910. Ainda solteiro perto dos 40 anos, Eduardo costumava frequentar a alta sociedade londrina. Por volta de 1934, apaixona-se profundamente pela norte americana Wallis Simpson, então casada com Ernest Simpson, um empresário anglo-americano que vivia perto de Londres.

Wallis, nascida na Pensilvânia, já se havia divorciado de um piloto da marinha dos Estados Unidos. A família real desaprova a relação. No entanto, em 1936, o príncipe manifesta a intenção de se casar com ela. Porém, antes de discutir o assunto com o pai, Jorge V morre e Eduardo é aclamado rei.

O novo rei era popular entre os seus súbditos. A coroação é marcada para Maio de 1937. Devido a um acordo de cavalheiros entre a imprensa britânica e o governo, após o impacto que a notícia provoca, o caso é abafado e retirado das páginas dos jornais. Em 27 de Outubro de 1936, Simpson consegue uma certidão preliminar de divórcio, provavelmente com a intenção de se casar com o rei, o que precipita o maior dos escândalos. Winston Churchill, então um deputado do Partido Conservador, é o único político notável a apoiar Eduardo.

Apesar da frente aparentemente unida contra ele, Eduardo não é dissuadido. Propõe um casamento em que Wallis não receberia direitos de distinção ou propriedade. A 2 de Dezembro, o primeiro-ministro Stanley Baldwin rejeita a proposta como impraticável. No dia seguinte, o escândalo explode nas primeiras páginas dos jornais e é discutido abertamente no Parlamento. Sem qualquer solução à vista, o rei abdica. No dia seguinte, o Parlamento aprova o ato.

Como novo rei, Jorge VI concede ao irmão mais velho o título de Duque de Windsor. No dia 3 de Junho de 1937, Eduardo casa-se com Wallis no Castelo de Cande, no Vale do Loire, em França.

Nos dois anos seguintes, o casal visita vários países, entre eles a Alemanha, sendo homenageado por funcionários nazis e tendo um encontro particular com Hitler. Depois da eclosão da Segunda Guerra, o duque aceita um posto como elo de ligação com a França. Em Junho de 1940, a França é ocupada pelos nazis e o casal muda-se para Espanha. 

Durante esse período, os alemães arquitectam um plano para sequestrar Eduardo com a intenção de fazê-lo voltar ao trono da Inglaterra como um rei fantoche. Jorge VI, a exemplo do seu novo primeiro-ministro, Churchill, opõe-se a qualquer acordo de paz com a Alemanha. Sem saber do complot mas consciente das simpatias pró-nazis de Eduardo, Churchill oferece-lhe o governo das Bahamas. O duque e a duquesa embarcam em Lisboa no dia 1 de Agosto de 1940, escapando por pouco a um esquadrão nazi pronto para raptá-los.

Em 1945, o casal retorna a Paris. Eduardo faz poucas visitas à Inglaterra, como para assistir aos funerais do seu irmão, em 1952, e o da sua mãe, a rainha Maria, em 1953. Eduardo morre em Paris em 1972 e é enterrado no Castelo de Windsor. Em 1986, morre Wallis, e o seu corpo é enterrado ao lado do marido.

MAL-ESTAR - Por Wilton Bezerra.

Digressiono mentalmente e não sei o que escrever sobre o momento vivido pelo Brasil.
Sim, porque lemos e ouvimos nada mais que um monturo de feiúra.
Os que nos governam pioram de quinze em quinze minutos.
O show de cinismo continua e Marun agora é ministro.
Canalha de aluguel tem ocupação certa.
É desesperador perceber o custo do peso dessa estagnação que assistimos.
Roubar no país virou diletantismo.
Qualquer um se considera no direito de fazer uma “parada”.
Posso até concordar que o mal não alcança o mundo todo.
Mas é forçoso reconhecer: o mal esticou sua temporada nessa terra de gente bronzeada que perdeu o valor.
Agora, pode-se dizer ser o Brasil um país de linchamentos.
Embora se diga que muitos merecem ser linchados.
Retorno à idade selvagem?
Num domingo desses, a torcida da Ponte Preta invadiu o campo de jogo do estádio Moisés Lucarelli para linchar o time todo.
Espetáculo degradante.
Enfim, para não causar um mal-estar maior aos leitores, vou encerrando este mini-papo.
Luz no fim do túnel?
Seria bom, mesmo que fosse de uma locomotiva.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

As afrontas de Lula - O Antagonista.



O Estadão ataca os procuradores da Lava Jato praticamente todos os dias.

Nesta segunda-feira, o jornal resolveu dar uma trégua.

O discurso de Lula no Rio de Janeiro, atribuindo à Lava Jato a ruína da Petrobras, mereceu um editorial indignado:

“O discurso é uma inacreditável coleção de afrontas. Ao contrário do que diz Lula, a Lava Jato ajudou a salvar a Petrobrás, livrando-a dos diretores corruptos que ali estavam para pilhá-la e para distribuir o fruto do roubo entre os partidos que sustentavam os governos petistas. O saneamento da maior estatal brasileira deve muito à depuração proporcionada pela Lava Jato, que ajudou a recuperar quase R$ 1,5 bilhão em recursos desviados.

Sob nova e saneadora direção, após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a Petrobrás revisou seus investimentos, que haviam sido ampliados irresponsavelmente por uma administração que pretendia transformar a empresa em ponta de lança do projeto de poder de Lula, e alterou sua política de preços, antes determinada pelos interesses eleitoreiros dos governos petistas, que tantas perdas causaram à estatal. Como resultado, a Petrobrás interrompeu obras desnecessárias, excessivamente custosas ou que haviam sido projetadas apenas para servir ao esquema de corrupção.”

Ausência vira arma anti-reforma da Previdência - Por Josias de Souza.



O governo precisa de 308 votos para aprovar a reforma da Previdência na Câmara. Pode-se evitar que o número mágico seja atingido de duas maneiras: votando contra a proposta —o que expõe o deputado ao risco de retaliação— ou simplesmente ausentado-se do plenário no dia votação. Cresce o número de deputados que tramam não dar as caras.

Utiliza-se contra Michel Temer a mesma feitiçaria usada pelo presidente para enterrar duas denúncias criminais. A continuidade das investigações contra o presidente e os ministros palacianos Moreira Franco e Eliseu Padilha exigia o aval de 342 do 513 deputados. No vale-tudo adotado para evitar que a marca fosse alcançada, o Planalto pressionou deputados que não tinham coragem de se expor à sanha das redes sociais para que sumissem do plenário na hora de a onça beber água.

O movimento pela ausência cresce na proporção direta do aumento da pressão governamental para que os partidos recorram ao “fechamento de questão”, como é chamada a ferramenta estatutária que permite a punição de filiados rebeldes. Avalia-se que as legendas terão mais dificuldade para tratar a ferro e fogo os deputados que faltarem à votação. Sob pena de sofrerem uma debandada em março, quando se abre uma janela legal para a migração partidária.

Por ora, três partidos fecharam questão para forçar seus deputados a aprovarem a emenda constitucional que mexe na Previdência: PMDB, PTB e PPS. Alçado no sábado à presidência do PSDB, Geraldo Alckmin declara-se a favor de que os tucanos adotem a mesma providência. Arrisca-se a virar um presidente minoritário no alvorecer de sua gestão à frente do ninho.

Neste domingo, de passagem por Buenos Aires, Michel Temer declarou: ''Falei com presidentes do PP, PSB e PRB. E todos estão entusiasmados com eventual fechamento de questão''. Indagou-se a Temer se está otimista com a possibilidade de aprovação da refoma ainda em 2017. E ele:  ''Suponho que talvez seja possível, mas, se não for, essa matéria da Previdência não vai parar.'' Deve-se a cautela à ausência de votos.

Por decisão de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, abre-se na quarta-feira, a fase de discussão da proposta previdenciária no plenário. Mas a inanição de votos permanece. ''Quem sabe, a gente consiga fechar na terça-feira”, declarou Temer, referindo-se à meta de aprovar a matéria até o dia 19. Se não der, fica para o ano eleitoral de 2018. Ou para as calendas.


Quem foi a primeira mulher a governar o Brasil

(Excertos de longa matéria divulgada nesta 2ª feira, 11 de dezembro pela BBCBrasil.com BBC BRASIL.com/Site Terra)

Que Dilma Rousseff que nada... Antes do descalabro do (des)governo da petista, duas grandes mulheres passaram à história pelas grandes iniciativas históricas e sociais: a Imperatriz Leopoldina e sua neta, a Princesa Isabel, a Redentora
 
     Escritores discutem a importância política da Imperatriz Maria Leopoldina, que ocupou o poder por pouco tempo, mas durante a independência do país, período em que teve papel crucial. A primeira mulher a governar o Brasil ocupou o cargo interinamente por apenas alguns dias, mas em um momento histórico: foi durante os dias de regência da imperatriz Maria Leopoldina que a independência do Brasil em relação a Portugal foi firmada, em 1822.

     "D. Leopoldina ajudou a escrever nossa história política, mas é comum explicá-la apenas como mãe de D. Pedro 2º e esposa de D. Pedro 1º" | Foto: domínio público
      Carolina Josefa Leopoldina de Habsburgo-Lorena nasceu em Viena, na Áustria, em 22 de janeiro de 1797, e integrava uma das famílias mais poderosas da Europa no século 18, os Habsburgo. Terceira filha de Francisco 1º, Imperador da Áustria, a princesa embarcou ao Brasil há 200 anos e mudou os rumos do nosso país.  Aos 20 anos, em maio de 1817, Leopoldina se casou à distância e por procuração com um homem que nunca havia visto: o príncipe português Pedro de Bragança, futuro Dom Pedro 1º, como forma de firmar uma aliança diplomática entre Portugal e Áustria.

    Em 1822, durante uma viagem do marido a São Paulo, Leopoldina permaneceu no palácio imperial e ocupou o cargo de regente do país, período que inclui a assinatura da independência brasileira, em 2 de setembro. Somente cinco dias depois Dom Pedro 1º foi informado sobre a notícia da independência, dando o famoso grito às margens do rio Ipiranga, sendo essa segunda data a que entrou para os livros de história como o Dia da Independência: 7 de setembro de 1822.

    "O período em que a princesa exerceu o poder foi pequeno, mas fundamental para o Brasil. Além disso, ela foi a primeira mulher a exercer o governo", explica a professora de pós-graduação em História Social da USP Cecilia Helena L. de Salles Oliveira. "As pesquisas das últimas três décadas apontam várias interpretações novas sobre a história do Brasil. Tais descobertas apresentam questões diferentes e revelam situações pouco ou nada conhecidas", explica Oliveira.

   "Em 1822, D. Leopoldina desrespeitou as ordens das cortes constitucionais portuguesas e declarou o 'Fico' antes de D. Pedro, com uma visão muito mais astuta que o marido: a imperatriz tinha certeza que se saíssem do Brasil como os políticos portugueses desejavam, não só Portugal perderia o domínio do Brasil, como provavelmente haveria uma guerra civil aqui", explica seu biógrafo Paulo  Rezzutti.

    Fazia parte da formação da família o aprendizado de línguas - Leopoldina falava 11 idiomas - a formação intelectual em diversas áreas do saber, além de aulas de teatro que tinham a finalidade de ensinar os Habsburgos a desempenhar o papel de monarcas diante do povo. Diferentemente de D. Pedro, Leopoldina sabia dialogar com o povo brasileiro, mesmo sendo este tão diferente das suas raízes germânicas: a princesa incluiu o nome de Maria, passando a ser conhecida como Dona Leopoldina ou Maria Leopoldina, e adotou o catolicismo, muito forte em Portugal, como forma de estabelecer relações com a cultura nacional.
 Reunião de Leopoldina com o Conselho de Ministros em 2 de setembro de 1822; escritores têm reivindicado a ela uma imagem menos passiva na história nacional | Foto: domínio público
Foto: BBCBrasil.com
Legado
    Durante a vida, Leopoldina procurou formas de acabar com o trabalho escravo. Em uma tentativa de mudar o tipo de mão de obra no Brasil, a Imperatriz incentivou a imigração europeia para o país. Primeiro vieram os suíços, se fixando no Rio de Janeiro e fundando a cidade de Nova Friburgo. Depois, a fim de povoar o sul brasileiro, a imperatriz incentivou a vinda dos alemães.

    Dona Leopoldina também contribuiu para a formação da cultura e da educação científica brasileira. Além da Missão Científica Austríaca que trouxe consigo em 1817, também trouxe para o Brasil sua biblioteca particular, dando início a uma biblioteca nas salas do Palácio em que viveu com D. Pedro 1º. A imperatriz também caçava pequenos mamíferos e coletava minerais, ajudando e incentivando estudos sobre a História Natural do Brasil.

    Outro legado de Leopoldina é a bandeira nacional. Embora a história conhecida seja a de que o amarelo representa o ouro e o verde, as florestas brasileiras, as cores do maior símbolo nacional representam as duas Casas que deram origem ao Brasil independente: o verde representa a Casa de Bragança, de D. Pedro 1º, e o amarelo representa a Casa de Habsburgo, de Leopoldina.

Fonte: BBC.Brasil.com

As conexões internacionais do PT e o dinheiro manchado de sangue - Jornal da Cidade.


Os avanços da Operação Lava Jato atingiram um patamar muito mais amplo e estão desvendando as conexões internacionais do PT.

O que se percebe é que não foi o poder que transformou o PT num partido sem nenhum escrúpulo. O PT na realidade nunca teve e nunca soube o que é escrúpulo. E nunca se importou com a origem de dinheiro, o importante é que ele, o dinheiro, sempre estivesse à disposição para que desenvolvesse o seu projeto de poder.

Um projeto que consistia basicamente na conquista do poder pelo poder.

Seguindo essa linha horripilante, o PT recebeu secretamente 1 milhão de dólares de Maumar Kadafi, o então sanguinário ditador da Líbia.

Estamos falando de DINHEIRO VERMELHO, manchado com sangue e fruto do comércio clandestino de armas, incluindo aquelas químicas e de destruição em massa, e do TERRORISMO.

Kadafi foi deposto e executado após 42 anos comandando um regime de horror na Líbia. Ditador sanguinário, submeteu seu povo a inomináveis torturas e silenciou os adversários com mão de ferro. Seu dinheiro sujo financiou grupos terroristas e também grupos políticos em vários países. Venezuela e Brasil entre eles.

É assustador... e é uma bomba de verdade!

Assim sendo, Palocci deverá enterrar de vez o que resta do PT, já que a doação de Kadafi configura crime perante a lei brasileira. 

O ex-ministro entrará para a história como o homem que ajudou a fundar e a extinguir o Partido dos Trabalhadores.

Na contabilidade do karma, isso deve render um empate.

Paralelamente, o MPF avança sobre uma outra conexão internacional do PT, a Espanha.

A Lava Jato já possui o elo das negociatas e contas secretas de Lula e Zé Dirceu na Espanha.

A caravana, os discursos e as bravatas de Lula não passam de mero esperneio de quem já sabe que está morto.

E em breve terá um novo encontro com Kadafi, no lugar merecido reservado para os dois.