Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 12 de agosto de 2017

Movimentos pela volta da Monarquia crescem no Brasil

Fonte: Folha Brasil -- Por Josias Oliveira
A fase do Brasil Império concentrou os mais importantes acontecimentos  da história do país, contemplando, assim, o período que vai do ano de 1822 (quando o Brasil tornou-se independente) ao ano de 1889 (quando foi proclamada a República).

A volta da Monarquia seria uma solução? Em meio à mais grave crise política e econômica da história brasileira, questões que andavam para lá de adormecidas estão ressurgindo. Uma delas é a volta da monarquia no Brasil.

O movimento monarquista defende que se estabeleça novamente o império por aqui. Herdeiros dos dois imperadores do Brasil (Pedro I e Pedro II).

Em carta endereçada à imprensa, há duas semanas, Dom Luiz de Orleans e Bragança, de 78 anos, bisneto da princesa Isabel e primeiro na linha sucessória em caso de retorno da monarquia ao país, aproveitou para se colocar à disposição na busca por uma solução.

“A Família Imperial, juntamente com a crescente corrente monárquica espalhada pelo Brasil, está disposta a cooperar na busca das soluções ponderadas que sejam uma saída para a crise que angustia aos brasileiros”, disse.

Um dos líderes do movimento no país, o médico carioca Rodrigo Siqueira da Rocha Dias, que pertence ao grupo chamado Brasil Real, disse que:

“O movimento pela mudança de República para monarquia está crescendo exponencialmente. Não é possível definir o número de membros, pois não temos estatísticas oficiais, mas existem diversos grupos, alguns até com personalidade jurídica”

Para ele, o retorno a monarquia após período republicano não é novo e que o sistema custaria muito menos aos cofres públicos do que a república atual.

“A restauração não seria inédita na história do século XX. A Espanha, por exemplo, era república e restaurou a monarquia. O presidente da República de Portugal, custa o dobro que o rei espanhol. Isso torna-se ainda mais espantoso quando comparamos a economia entre os dois países”, disse.

O médico ainda alega que países onde monarquias estão instauradas são menos corruptas.

“Será que a população tem ciência de que dos dez países menos corruptos do mundo sete são monarquias? O monarca tem algumas prerrogativas que lhe são próprias e que garantem coesão e estabilidade. Em caso de crise institucional, o imperador tem a prerrogativa de dissolver o parlamento e convocar novas eleições. Pergunte a qualquer brasileiro se ele aprova esse Congresso ou se preferiria que esses políticos fossem demitidos, na figura da dissolução do Parlamento, para convocação de novas eleições”, questiona.

 Linha Sucessória da Monarquia Brasileira

1 – Dom Luiz Gastão de Orleans e Bragança (Chefe da Casa Imperial)

2 – Dom Bertrand Maria José de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil

3 – Dom Antônio João de Orleans e Bragança, Príncipe do Brasil

4 – Dom Rafael Antônio Maria de Orleans e Bragança (filho de Dom Antônio)

5 – Maria Gabriela Fernanda de Orleans e Bragança (irmã de Dom Rafael)

6 – Isabel Maria Josefa de Orleans e Bragança (irmã de Dom Rafael)

Um comentário:

  1. É preciso disseminar as ideias da monarquia, com os exemplos dos países onde são governados por esse sistema de governo. Mostrar ao povo que o monarca prepara sucessores e não herdeiros. Isso basta.

    ResponderExcluir