Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Raimundo Correia Ferreira e a Rádio Cultura de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.

Foto - Raimundo Correia Ferreira, filho ilustre de Várzea-Alegre.

Em 1994, eu era superintendente do Banco Comercial - Bancesa agência de Juazeiro do Norte. Recebi a visita do nobre  conterrâneo e ilustre empresário Raimundo Correia Ferreira.

Ele me cumprimentou fazendo uma pergunta : Eu sei que mãe Zefa não existe mais, mas, no Sanharol ainda fazem um Pão de Arroz como ela fazia? 

Eu respondi : Tentam.

Ele vinha tratar  de um aval que dera para um amigo que estava com dificuldades de liquidez.

Passou a contar porque se desfez da "Rádio Cultura" localizada  na  cidade cearense de Várzea-Alegre. Quando resolveu instalar recebeu todo o apoio do prefeito que através da prefeitura cedeu um prédio.

No aniversario da rádio,  no Creva - Clube Recreativo de Várzea-Alegre Raimundo Ferreira contratou a "Banda Mastruz com Leite", a mais prestigiada do momento, o que de melhor havia. 

Como a Rádio era batizada de Cultura, o empresário levou para apresentar ao público outras atrações como a "Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto  de Crato".  No melhor  momento da festa ou seja do "Mastruz com Leite" ele  subiu ao palco, mandou parar a música e anunciou a apresentação dos "Irmãos Aniceto". 

Levou do publico presente a maior vaia já vista a um ser humano. Se retirou  do local e foi na casa do atual proprietário e disse : A Rádio é sua. 

Palavras do Raimundo Correia Ferreira, ele me contou essa história sem que eu lhe perguntasse. Se houver controvérsia não é de minha parte. 

Um comentário:

  1. Atitude trágica, grosseira, deselegante e mal educado.

    Abominável.

    ResponderExcluir