Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Raimundo Menezes - Por Antônio Morais.


Pra ver se engano a saudade vou contar uma historinha de Raimundo Menezes. Ele tinha um pouco da veia humorística do tio Mundim do Sapo.

Raimundo estava na Farmácia Veterinária  do Dr. José Wilton e passou um vendedor de bananas. Vendia bananas maçãs nunca vistas iguais, é sabido que é difícil encontrar no mercado, ninguém cultiva mais esse tipo de banana.

Separadas duas pencas, uma com  dez e outra com nove unidades. Raimundo Menezes chamou Tico do Leite  para ir levar as bananas em casa. Por curiosidade perguntou ao portador : Tico você sabe quanto é  dez mais nove? Tico respondeu: sei,  é 23 e partiu  para fazer a entrega.

Um fregues da farmácia, morador no sitio Queixado observou : seu Raimundo essa daí ele  acertou no bambo.

Raimundo contava essa história e dava  uma gargalhada  prazerosa de se ouvir.

2 comentários:

  1. Saudade é presença e ausência. É você sentir presente o que está ausente. Nas reuniões de família quando ele chegava o ambiente se fazia alegre. Geralmente ele se dirigia a mim. E, por um tempo, as conversas eram as mais diversas. Estou ausente do convívio desde sua ausência. Mas, as suas preciosidades com os nossos netos João Pedro e Aluísio estão bem vivas na sua espetacular memória. Foi um bom filho, irmão, esposo, pai, avô e amigo. Você quer mais? Não exija tanto. Raimundo era perfeito.


    ResponderExcluir
  2. Posso afirmar que, com a partida de seu Raimundo Menezes, perdi uma grande referência de vida.
    Ele foi um dos homens em quem busquei inspiração para ser o grande e fiel marido, pai presente e amigo legal que hoje sou.

    ResponderExcluir